De ontem

agosto 11, 2015


- Traga-me de amêndoa. 
Não quero estar aqui.
Não suporto a névoa asfixiante que por aqui paira.
Os dias arrastam-se, moribundos, à medida que a memória falha, a felicidade esmorece e a respiração parece mais uma súplica do que uma necessidade vital.
"Vita".
"La Dolce Vita", "La Joie de Vivre". Já senti a felicidade a correr-me nas veias, já senti o êxtase, já senti Paz, já senti até o entorpecer dos sentidos. Já dancei, já seduzi, já me esqueci das tarefas mais básicas, porque ser feliz é um emprego a tempo inteiro.
Hoje não sei quem sou, o que sou ou por onde caminho. Há dias em que as ruas me parecem todas iguais. Talvez seja eu quem está igual (não suporto estar igual).
- Traga-me de amêndoa. 
(Só para que eu possa provar um sabor novo. Preciso de algo novo na minha vida que me recorde que estar viva é mais do que respirar, ler e amar. ).
Tenho tudo. Tudo para ser feliz. 
Fazes-me falta?

You Might Also Like

0 comentários