E um dia voltar

outubro 10, 2015



Essas paredes,
Construídas sobre recordações
De sentimentos que não chegaram a ser.
Sempre senti uma vazio de alma, aí,
Onde os corpos se cruzam
E o ar é invariavelmente frio.

Subi degraus, dobrei esquinas
Sem sequer saber onde me encontrava
Por onde ia,
Onde queria chegar...

Não quero voltar.

Não me basta o mar,
Não me bastam as melodias,
A beleza do espírito
Ou o enternecer do corpo.

Quero o meu mar,
As ruas que eu já percorri
Sozinha,
De braço dado,
Lado a lado...

Quero as melodias 
Que são minhas,
Os amores que eu perdi,
As vitórias que eu alcancei.

Quero recordar-me que errei,
E seguir caminho,
Com o sorriso e o carinho
Que um dia eu lá deixei.

Eu senti.
Senti nas notas,
Senti no corpo,
Na pele,
Nos meus dedos ,
Nos pés que se não queriam mover.

Eu senti
Que um dia iria perder,
Sem sequer ter jogado.

Senti que o Inverno aí é mais frio
E a Primavera bem menos solarenga,
As folhas não caem, as flores não florescem,
As gotas de orvalho sempre secaram
Bem antes de as contemplar.

Eu nunca pertenci a esse lugar.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Tão lindo, tão tocante, tão especial...tens imenso jeito!
    R: Talvez... no meu caso, a psicóloga ajudou-me a abrir mais e eu disse coisas que nunca tinha dito a ninguém mas, na minha vida nada se alterou. Já não me chega falar, preciso de passar para a ação e nisso a psicóloga não ajuda

    ResponderEliminar
  2. Tão lindo, tão tocante, tão especial...tens imenso jeito!
    R: Talvez... no meu caso, a psicóloga ajudou-me a abrir mais e eu disse coisas que nunca tinha dito a ninguém mas, na minha vida nada se alterou. Já não me chega falar, preciso de passar para a ação e nisso a psicóloga não ajuda

    ResponderEliminar