Uma estrelinha feliz

dezembro 23, 2016

Há cerca de dois anos, um familiar afastado por quem eu nutria muito carinho adoeceu.
Ele era a alma de qualquer festa, aquele que contava as melhores piadas e transformava qualquer história numa epopeia grandiosa. Era alegre, gentil e simpático. Nunca conheci alguém que tivesse um casamento que durasse o tempo que aquele durou, com o carinho com que ele durou, com a saudade que deixou ficar.
Um dia, já perto do Natal, e ciente da sua condição, fui visitá-lo.
Encontrei um corpo magrinho, quase imóvel, condenado a uma infelicidade como ele nunca conhecera. Fora tomado de surpresa pela doença, sem qualquer aviso ou sinal. O prognóstico foi dado com muitas certezas e a tristeza imperou. 
Ele queria viver, queria rir, queria conviver, conversar, divertir-se. Isso notava-se naquele corpo imóvel e débil.
Não queria partir. Apesar da idade avançada, sabia que ainda tinha muito para viver, muita felicidade ainda haveria de chegar, muita felicidade ainda tinha de proporcionar aos que o amavam. Porque ele - e os que o rodeavam - precisavam disso: daquela alegria, daquele riso, daquela brincadeira de homem sério que só quer o nosso bem.
Já praticamente não se alimentava, uma vez que o corpo rejeitava praticamente tudo. Estava confinado a uma cama, da qual não podia sair, a um corpo que já não conseguia mover, a uns dias amargos e pesados, longos, porém quase cronometrados. 
Não sei como foi o seu Natal. Sei que não podia beber ou comer e que não queria que a sua condição contagiasse a família, por isso pedia-lhes que se divertissem e aproveitassem as festas por ele.
Saí de lá cabisbaixa, com uma vontade enorme de chorar e naqueles momentos que se seguiram desejei poder trocar de lugar com ele.
Porque eu nunca fui assim tão feliz e isso deixava-me com um sentimento difícil de descrever... como se eu sentisse que não merecia a vida, se a vivia assim, desta forma, tão medíocre quando comparada com uma felicidade tão rica e tão plena, Eu não tinha o direito de viver uma vida assim, quando havia gente com tanta felicidade por desfrutar.
As pessoas felizes nunca deveriam partir.
Ninguém deveria ter que partir mas, sobretudo, as pessoas felizes, nunca deveriam partir. A vida faz-lhes falta e elas fazem-nos falta a nós.
Foi um Natal triste.
Mas nunca tão triste como o daquela senhora que viu um casamento lindo, tão longo e tão próspero em amor, definhar aos poucos.
Pessoas que amam nunca deveriam partir.
Pessoas tão amadas nunca deveriam partir.
Quem sabe equilibrar com mestria bondade, amor e felicidade deveria ter a vida eterna assegurada, mas não tem.
Estamos todos condenados a uma efemeridade tão, mas tão injusta.

You Might Also Like

12 comentários

  1. Todos temos estrelinhas muito especiais lá em cima, infelizmente...

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente, a vida é assim... :(
    Mas de certeza que tens uma estrelinha a olhar por ti! ;)
    Feliz Natal! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim.
      Espero que tenhas tido um Feliz Natal e que agora se aproxime um excelente Ano Novo ;)

      Eliminar
  3. Tens razão, é muito injusto, e normalmente quem morre primeiro são as melhores pessoas, não sei porquê, mas sempre foi assim e acredito que sempre será. Beijinho grande**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu. Penso assim como tu.
      Beijo e Excelente Ano Novo*

      Eliminar
  4. Estes momentos são os mais difíceis de passar que o Senhor conforte a cada família que passa por este momento.

    ResponderEliminar
  5. Isso é verdade. mas acontece e temos que guardar a boa disposição dessas pessoas e a vontade de viver!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil guardar tanto dentro de nós. Pessoas assim tão grandes fazem-nos sentir muito pequeninas ao lado delas.
      Obrigada pelas tuas palavras*
      Feliz Ano Novo!

      Eliminar
  6. Eu tenho uma história parecida... Um primo que era a alegria do Natal e que faleceu subitamente perto desta época. O Natal nunca mais foi o mesmo.
    Mas temos mesmo é de tentar relembrá-los pelas memórias felizes.

    Beijinhos e Feliz Natal!

    http://buongiornoprincipessa3.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento a tua perda.
      Sim, temos de o fazer, por eles e por nós*

      Beijinhos

      Espero que tenhas tido um Feliz Natal e que 2017 seja um ano muito muito especial*

      Eliminar