Mind Tricks

abril 17, 2017

"A duração da vida é um fator irrelevante. O que marca a diferença é [...] a forma como vivemos".

Osho

Nunca atribuí grande valor à forma como vivo, mas tão-somente à forma como sinto a vida que existe: em mim e em redor de mim.
O segredo esteve, está e estará sempre no que sentimos, na intensidade dos sentimentos que acreditamos possuir, mas que, na verdade, nos possuem a nós.
A grande liberdade reside em deixar-mo-nos consumir.

Então, Osho terá razão: não vivo da melhor forma. Deixei-me adormecer e não consegui transcender os problemas que não são problemas e que eu não tenho de todo. Ainda assim, não vivo da melhor forma. Porque não me consumi ainda.
Sempre considerei que o meu maior medo era o medo de morrer. Hoje eu já não sei.
É verdade que quanto mais sabemos, mais desconhecemos? Não sei.

Apenas sei que não sou consumível e que tudo o que quero é deixar-me consumir.
Então,

Terei eu uma propensão para o Infinito?

You Might Also Like

0 comentários